24 novembro 2008

Testemunho: nutricionista

Sou nutricionista e estou a recibos verdes há quase um ano! Iniciei actividade em Fevereiro deste ano e comecei a trabalhar para uma empresa (Nat**plan) que me prometeu 750 euros líquidos.

Não assinei nenhum tipo de contrato e rapidamente percebi que aquilo não ia a lado nenhum… Nos dois meses em que trabalhei para essa empresa, pagaram-me muito menos do que o combinado e não me fizeram retenção de IRS na fonte, o que significa que eu ainda vou ter que pagar impostos sobre o pouco que recebi!

Saí e encontrei outro emprego, mais uma vez a recibos… Neste já assinei um contrato de prestação de serviços de um ano! Até parece uma piada, mas não é! Sou trabalhadora independente mas tenho horário de trabalho, obedeço aos patrões e ainda por cima tenho um contrato de um ano!!!

Aceitei as condições porque preciso de trabalhar, mas agora que se aproxima o final do ano de isenção da Segurança Social, começo a ficar realmente preocupada!

Durante este ano optei por não pagar IRS para conseguir equilibrar as minhas contas, o que significa que vou ter uma dívida às Finanças de cerca de 1400 euros pelas minhas contas…

A partir de Fevereiro, se tudo correr bem, o meu salário vai ser de cerca de 450 euros líquidos, sem direito a subsídio de férias ou de Natal, sem poder ficar doente nem tirar férias…

É muito triste tirar um curso superior para isto!

6 comentários:

Anónimo disse...

Com esse valor de 750 euros, o facto de não reter na fonte para o IRS não lhe vai dar prejuizo. Pois se o descontasse ia recebe-lo na totalidade. Têm é que declarar o vencimento dos RV correctamente e verá que esse valor está isento. Aliás, está isento até cerca de mil duzentos e algo euros de IRS. Tenho feito isso ao longo dos anos e não sou nem nunca fui devedora de 1 cèntimo. A questão é que nós não somos bem informados nem pela SS nem pelas Finanças e por vezes descontamos mais do que necessitamos. Mas claro que isto não anula o facto de os RV serem um cancro.

Anónimo disse...

Se ganha 450€ liquidos, é porque quer...!

Compreendo toda a sua situação, os RV são um cancro mesmo...

contudo, não faltam empregos a ganhar mais do que isso.
É preciso procurar e perder a noção pré-concebida de que "...tem de trabalhar na área em que se formou."

Até na Zara ganha mais!!

Até porque trabalhar como Nutricionista com esse salário, só descredibiliza essa tão nobre profissão.

Anónimo disse...

Não concordo muito com isso... Se a pessoa dedicou uma grande percentagem da sua vida a dedicar-se a aprender algo sobre uma via profissional (sim... porque de certeza não são apenas os 4-5 anos da universidade, e muitos anos em paralelo pesquisando aquilo que lhe dá mais gosto e para qual sente vocação, porque o curso é apenas uma formalização); acho que é muito injusto ao fim de tantos anos de encaminhamento e direccionamento subitamente lhe dizerem que é melhor esquecer tudo o que quis aprender, porque não vale a pena...


Portanto, como uma vez me disseram em novo "nós é que temos de tornar as coisas rentáveis". Com isto querendo dizer que temos que lutar pelos nossos direitos e deveres, porque sabemos que as coisas se justificam...

Desistir de uma vocação é apenas uma medida de último recurso, e não a escolha imediata... Porque nesse caso, é apenas a escolha dos cobardes...


Ou acha justo um trabalhador da Zara receber mais que um(a) trabalhador(a) altamente especializado? Cruzes, até mesmo uma empregada da limpeza... E qualquer um desses casos também pode ser considerado uma "nobre profissão".




Qualquer profissão pode ser considerada "nobre", desde que seja útil e honrada.

Anónimo disse...

Só para esclarecer: o meu salário é de 750 euros ilíquidos por 32H semanais (em x das comuns 40H).

Os meus cálculos para os 450 euros líquidos forma feitos com os descontos de 20% para IRS (que pelos vistos não é bem assim) e 150 euros para segurança social (que só começarei a pagar em 2009).

Sou explorada mas não sou escravizada :)

Não considero que esteja a descredibilizar a minha profissão... Aceito estas condições de trabalho porque adoro aquilo que faço e sei que sou boa naquilo que faço! E também porque acredito que as coisas vão melhorar em breve :)

Isa disse...

À anónima das 18:09, do dia 24/11,

Poderias dizer-me onde posso ter acesso à informação que deste, relativamente ao estar isenta "até cerca de mil duzentos e algo euros de IRS"?
É que, como dizes, nas Finanças e na S.S. não sabem ou não querem informar correctamente, e já não é a primeira vez que vejo alguém dizer o mesmo que tu.
Tens alguma indicação mais precisa?
Era um favor enorme que me fazias!

Cumprimentos!

Isa

Anónimo disse...

Eu realmente acho piada a certos coment'arios que parecem completamente alheados da realidade. Eu sou engenheiro inform'atico, fora os cursos todos que tirei extra universidade e trabalhei 5 anos a recibos verdes para empresas de formacaos. Para alem de receber 12.5 euros 'a hora, recebia com um mes de atraso e nunca, em cinco anos, tive subsidio de refeicao, ferias ou natal.
Emigrei h'a dois anos para a Holanda, continuo a ser engenheiro inform'atico, estou a atrabalhar para uma empresa como efectivo, recebo 6000 euros de ordenado mensal, subsidio de ferias e distribuicao de lucros no fim do ano. Este mes recebi, para alem dos 6000 euros, 12500 euros dessa distribuicao.
Faco exactamente o mesmo que fazia em Portugal, sem tirar nem por.
Nao trabalhava a tempo inteiro, era s'o quando a empresa precisava de mim. Apesar de dizerem que eu era o melhor que eles tiham, nunca me contrataram.
os meses em que recebia 1000 euros brutos, aos quais escontava 150 euros para a SS e 20% para o IRS, mais as refeicoes e transportes, tudo por minha, claro, era uma festa. Ah, mais os 400 euros da renda da casa.
Os RV sao um cancro galopante e ou se acabam com eles, ouo muitos vao fazer como eu e depois, nao h'a 6000 euros por mes que cheguem para nos convencerem a voltar para Portugal.
realmente aho piada dizer a quem estudou tantos anos e se esforcou tanto que se for para a zara ganha mais. 'E no minimo ridiculo, mas 'e o Portugal que temos. Eu, pela parte que me toca, nao faco tencoes de voltar. A nao ser de f'erias, que para isso, Portugal 'e do melhor.