20 maio 2008

Governo e os CNO's

Governo abriu concurso para integrar precários do Programa Novas Oportunidades

O ministro Vieira da Silva anunciou hoje, no Parlamento, que o Governo abriu um concurso público para os trabalhadores permanentes do Programa Novas Oportunidades, para resolver as situações de precariedade, noticiadas no último fim-de-semana

Na audição desta manhã na Comissão de Trabalho, Segurança Social e Administração Pública, o ministro Vieira da Silva revelou que «o Governo decidiu que os trabalhadores permanentes dos centros de Novas Oportunidades podem candidatar-se a um concurso», para incorporação definitiva.

Segundo Vieira da Silva, o concurso abrange cerca de 1600 pessoas e destina-se apenas a trabalhadores permanentes, uma vez que «existem prestadores de serviços, como formadores, que querem permanecer com esse vínculo».

Texto: Emanuel Costa

Podem ler a notícia na íntegra aqui.

12 comentários:

Anónimo disse...

Os formadores dos CNO não são diferentes dos outros restantes formadores. Sou formadora há 7 anos no IEFP e nunca aceitei ser formadora das novas oportunidades, pois não acredito que alguém depois de 3 meses a visitar os Centro de Formação 1 vez por semana fique com um certificado do 9º ou o 12º ano!Os contratros dos formadores dos CNO são de 4 horas por dia, nas restantes horas todos damos formação profissional!

Anónimo disse...

Gostava de saber como se tem acesso a esse concurso, pois sou Profissional de RVCC a recibos verdes e gostava muiiiito de mudar a minha situação! Será que isto se vai mesmo alargar a todos ou só a alguns? Alguém sabe onde está esse concurso??

Almiro Jacinto disse...

Bom, no Ministério da Agricultura existem pelo menos mais 200 pessoas a recibos, será que também vão ser integrados?

FERVE disse...

Caro Almiro:

Esperamos que sim, mas acreditamos que é importante fazer-se pressão.

Podemos ajudá-lo a denunciar a situação desses 200 trabalhadores/as, tal como fizemos os os Centros Novas Oportunidades.

Pelo FERVE;

Cristina Andrade

Anónimo disse...

Em alguns cnos os formadores e profissionais de rvcc estão afectos a tempo parcial apenas a este serviço. Por isso, nem todos, como afirma, dão formação profissional.
E quanto ao concurso não foi ainda nada publicado em Diário da República (nem aviso nem regulamento). Quem pretende o sr. ministro enganar?

Anónimo disse...

Já procurei no diário da república desde o início do mês e não encontro nada desse misterioso concurso. Penso que se isso fosse realmente levado a cabo os próprios coordenadores dos CNO´s nos alerteriam, o que não aconteceu, no entanto vou ficar atenta.

Anónimo disse...

Segundo consta, o misterioso concurso apenas será efectuado no final do ano e não se sabe muito bem como...será mais um concurso "job for the boys"? Até lá, a renovação de contratos mantem-se a recibos verdes, auferindo um valor de menos 300 euros do que está estipulado para outros cnos que efectuam contratação a termo!
Esta é a realidade dos Cnos!

Anónimo disse...

Segundo os trâmites normais dos serviços públicos, têm que por a concurso as vagas, o que quer dizer que vão ter que abrir procedimento de abertura de concurso, por isso também não é para fazer contrato aos que já lá estão. Um abraço solidário

Anónimo disse...

Como é que o sr. ministro não sabe a diferença entre um aviso de abertura de concurso e um despacho q descongelamento de vagas, que ainda vamos ver para quem serve.Enfim, triste realidade, o outro também não sabia que nos CNO´s havia pessoal a recibos verdes, quando isso é a prática e não a excepção.Estamos muito bem entregues, não haja dúvida.
Abraço solidário

João disse...

Os concursos para Profissional RVCC e para Técnico de Diagnóstico e Encaminhamento foram abertos e foi naturalmente dada preferência na selecção aos profissionais que já se encontravam a recibos nos CNOs.

Era bom era que não se tivessem "esquecido" do pessoal administrativo que também estava previsto no despacho de Maio ter um concurso público e que entretanto ficou na gaveta.

João disse...

Lamentavelmente o problema dos administrativos a recibos verdes nos Centros Novas Oportunidades parece não interessar a ninguém.
Enquanto os Srs. Drs. viram a sua situação rapidamente regularizada o pessoal administrativo ficou e pelos vistos ficará eternamente esquecido.
Já lá vão 7 meses desde o despacho do Ministério das Finanças.
Surpreende-me é que nem a FERVE parece interessada.
É como diz o ditado: quem se lixa é sempre o mexilhão.

Paula disse...

Realmente João.... De facto não interessa que o pessoal administrativo continue a recibos... Os outros já estão numa situação melhor nós... "É chato"...

O despacho saiu em Maio, quer a ANQ, quer a DREC "não ouviram falar em nada"... É triste