20 fevereiro 2008

Testemunho: Audiovisuais

Nada de novo: recibos verdes há um ano e meio, interrompidos por despedimentos de curta duração, convenientes à entidade empregadora. Horários rígidos de trabalho, que muitas vezes se estendem a seis dias por semana.

A injustiça e a ilegalidade estão implementadas no sector dos audiovisuais e não há nada nem ninguém que consiga mudar este estado das coisas...É um mundo demasiado pequeno e competitivo para que alguém queira arriscar ficar sem um contacto de trabalho e as notícias correm demasiado depressa.

Compreendo até que a natureza dos projectos audiovisuais, que têm uma duração sazonal e curta, não seja propícia a contratos de trabalho duradouros, nos moldes das leis actuais, mas existem medidas que podem prevenir a sensação eminente e constante de "desemprego" e "desamparo"... Dou alguns exemplos concretos:

- Obrigar as entidades empregadoras a determinarem um salário para os profissionais dos audiovisuais que tenha em conta os meses em que o trabalhador está dispensado das suas funções (sem poder no entanto aceitar outras propostas...);

- Ter em conta as horas extraordinárias de trabalho (para além de trabalharmos a recibos verdes com horários rígidos, o horário por dia de trabalho chega a ser de mais de 15 horas seguidas, no caso de programas em directo).

- Criar um sistema de saúde para estes profissionais, através de um acordo com centros de saúde ou uma seguradora privada, que lhes permita ter acesso a uma saúde preventiva (chegamos a passar três meses em que o tipo de trabalho não nos permite dispensar algumas horas para uma consulta...).

Estas medidas mudariam muito a nossa vida...Para melhor!

2 comentários:

Mª Ceu disse...

Sou licenciada em economia e estou desempregada e o que me choca neste país é como é possivel destruir uma geração inteira com recibos verdes ou com ordenados de 426e, conheço licenciados de medicina dentaria a trabalhar no Porto por esse valor!
Perante isto só nos resta lutar ou sair do país, eu gostava de lutar com a organização de uma grande manifestação verde.

Mª Ceu disse...

Hoje vi as tardes da Júlia e fiquei orgulhosa ao ouvir o deputado do ps dizer que as empresas deslocalizam se não fizerem o que lhes der na real gana,que eles não podem fazer nada mas não temos as fronteiras fechadas e por isso quem está mal muda-se!
Contra factos não há argumentos,eu só pergunto:então se não servem praticamente para nada porque votamos?
Esta na hora desse bando de anormais ir com os porcos.