30 Janeiro 2008

O FERVE no Fórum do País, da RTPN

O programa Fórum do País, da RTPN, aborda hoje (30 de Janeiro) o tema do trabalho independente, vulgarmente conhecido como trabalho a recibos verdes.

O FERVE – Fartos/as d’Estes Recibos Verdes estará representado por Ricardo Salabert, num debate que contará também com dois testemunhos de trabalhadores a recibos verdes.

O Fórum do País é emitido em directo, entre as 23h00 e as 24h00.

12 comentários:

Anónimo disse...

Ainda está a decorrer na RTPN o debate sobre os recibos-verdes e ainda não falaram sobre a situação precária vivida na RTP-Porto. É preciso lembrar que cerca de 20 colaboradores colocaram em tribunal esta mesma entidade e o processo incide sobre este mesmo tema.

Anónimo disse...

com tanto para discutir sobre o assunto, 15 minutos de monologo do Sr da EDP...Não que não tenha razão mas achei um exagero. Não é na rtp norte que trabalham os "verdes" que processaram a rtp? podiam falar disso.

Anónimo disse...

Sou um recibo-verde que trabalha para a rtp porto, que colocou a dita empresa em tribunal, que estava à espera que falassem desse caso. Obrigado pela vossa referência à nossa coragem...

Ana Carvalho disse...

Servem de quê estes debates quando é a própria Rtp que funciona ilegalmente com recurso a falsos recibos verdes? Já li isso no FERVE e entretanto nos jornais. A Edp, que patrocina as maratonas e detem o monopólio da electricidade também podia ter alguma vergonha.

Anónimo disse...

Foi interessante ver que não houve referência aos processos que estão em tribunal de mais de 20 falsos recibos verdes que trabalham nos estúdios do monte da virgem contra a rtp. Decerto a culpa não foi da Magda Rocha. Fiquei com a noção que o Forum defendia a lei, pregava a coragem de quem se assume contra as situações referidas. Era interessante terem convidado com alguma antecedência os queixosos e o advogado dos mesmos para comparecerem neste debate, que, sem um pretenciosismo do Prós e contras, vai gerindo com alguma qualidade certos temas importantes.

adelio's_daughter_in_the_house disse...

A Rtp, fã do dialogo e da livre expressão de ideias, esconde no fundo os seus podres "atacando" indirectamente a Edp e outras entidades.Cobardia (ou covardia consoante a preferência). Como retaliação, um dia destes ainda lhes cortam a luz...Fazer um debate acerca dos falsos recibos verdes parece uma provocação deliberada...

antonio disse...

Eu trabalhava a recibos verdes e quando na hora de os passar é que verificava o “tombo” que levava, o meu chefe dizia "Está-se a queixar é pouco, fale com o governo" e por incrível que pareça o meu ex. Chefe tinha razão. Mas eu ao fim de 3 meses disse-lhe se não me fizer um contrato vou-me embora e assim o fiz. Neste momento procuro trabalho, e continuo a procurar porque acho que não devo aceitar trabalhar pelo ordenado mínimo miserável, porque esse poderia funcionar para quem procura o 1º emprego e não para pessoas casadas ou com mais de 20, 25 anos. Por mim gastava tudo o que poupei até alguém por mão nisto e se todos os portugueses tivessem um pouco de orgulho não aceitavam trabalhar por 426€ tendo que gastar muitas das vezes 100€ para transportes, e agora é só fazer as contas se tiver que tirar mais 100€ no mínimo para almoço.
Nota: Eu toda a vida trabalhei pelo ordenado mínimo sem nunca ter sido promovido alguém se importa, será que quem de direito nunca pensou em mudar isso?
Pois é 18 anos a ganhar essa miséria é revoltante. Por isso deixo aqui um repto se as pessoas que ganham o ordenado mínimo se recusar trabalhar durante 15 dias estou em crer que Portugal pára, e alguém tem que tomar uma atitude.

Antonio disse...

Eu trabalhava a recibos verdes e quando na hora de os passar é que verificava o “tombo” que levava, o meu chefe dizia "Está-se a queixar é pouco, fale com o governo" e por incrível que pareça o meu ex. Chefe tinha razão. Mas eu ao fim de 3 meses disse-lhe se não me fizer um contrato vou-me embora e assim o fiz. Neste momento procuro trabalho, e continuo a procurar porque acho que não devo aceitar trabalhar pelo ordenado mínimo miserável, porque esse poderia funcionar para quem procura o 1º emprego e não para pessoas casadas ou com mais de 20, 25 anos. Por mim gastava tudo o que poupei até alguém por mão nisto e se todos os portugueses tivessem um pouco de orgulho não aceitavam trabalhar por 426€ tendo que gastar muitas das vezes 100€ para transportes, e agora é só fazer as contas se tiver que tirar mais 100€ no mínimo para almoço.
Nota: Eu toda a vida trabalhei pelo ordenado mínimo sem nunca ter sido promovido alguém se importa, será que quem de direito nunca pensou em mudar isso?
Pois é 18 anos a ganhar essa miséria é revoltante. Por isso deixo aqui um repto se as pessoas que ganham o ordenado mínimo se recusar trabalhar durante 15 dias estou em crer que Portugal pára, e alguém tem que tomar uma atitude.

Anónimo disse...

http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Sociedade/Interior.aspx?content_id=78286

Anónimo disse...

Os Tribunais do Trabalho e os Magistrados deviam estar muito atentos à questão dos FALSOS RECIBOS VERDES pois neste momento encontram-se já acções a decorrer.

Paulo Oliveira disse...

A todos os falsos recibos verdes eu deixo uma mensagem de compreensão e solidariedade, não foi fácil para mim dar a cara na RTPN nomeadamente quando se trata de falar da EDP, fiz no intuito de contribuir para que este abuso tenda a acabar, no entanto alguns exfuncionários da RTP demonstraram, e com razão a sua frustração de não se ter abordado a sua situação, mas como devem calcular eu não conheço com pormenor a vossa situação, de maneira que não me ia sentir á vontade a discutir factos dos quais eu não tinha qualquer informação!....O que me foi pedido foi que eu testemunha-se a minha situação, e essa eu fiz, com todo o gosto e profundo conhecimento de causa, de qualquer forma desde já me disponibilizo para qualquer tipo de auxilio na defesa desta causa.

Paulo Oliveira

FERVE disse...

Aos diversos anónimos referindo a situação dos recibos verdes na RTP:

O FERVE tem vindo a acompanhar a situação dos trabalhadores a recibos verdes da RTP, como poderão constatar se consultarem o blog.

Não irei fazer a apologia do nosso trabalho perante esta situação, contudo, gostaria de assinalar que os comentários proferidos me parecem altamente injustos.

Entendo a situação de angústia que vivem, todavia, custa-me a perceber qual o motivo para atacarem quem está do vosso lado nesta luta...

Pelo FERVE;

Cristina Andrade