10 outubro 2007

Noite Precária

Na próxima sexta-feira, dia 12 de Outubro, pelas 21h30, decorre em Lisboa, no Grémio Lisbonense (ao Rossio), a Noite Precária.

Esta iniciativa, organizada pelos/as Precári@s-Inflexíveis, conta com música de Pedro e Diana e outros relatos e sons do precariado.

O debate é aberto a todos que queiram participar e conta com a presença do FERVE - Fartos/as d’Estes Recibos Verdes, ABIC (Associação dos/as Bolseiros/as de Investigação Científica), SINTTAV (Sindicato Nacional dos/as Trabalhadores/as das Telecomunicações e Audiovisual), Intermitentes do Espectáculo, entre outros.

Aproveitamos o momento para convidar também todos os ministros e patrões que quiserem aparecer!

O precariado está a acordar por aqui!

6 comentários:

Paulo disse...

Se estivesse por aí por baixo não deixava de ir. Hoje descobri mais uma novo nível do precariado. No centro de emprego, um trabalhador independente nunca é considerado desempregado, mesmo que tenha cessado a actividade. Somos tão precários que nem sequer temos direito de ser desempregados. Enfim, ilegalidades de um país que se diz Europeu.

Anónimo disse...

Sou obrigado a descordar.. Se cessar actividade passa a estar desempregado. Só se mudou hoje a lei... Se estiver colectado nas finanças é considerado empregado mas se cessar a actividade nas finanças, deixa de ser.
Até porq se pagar um determinado valor da segurança social (e nao é baixo) até pode vir a receber o subsidio de desemprego.

Isto foi-me informado pelo centro de emprego e por varios contabilistas...

FERVE disse...

Caro anónimo:

Um trabalhador independente nunca tem direito a subsídio de desemprego, por muito que desconte para a Segurança Social.

Pelo FERVE;

Cristina Andrade

Marreta disse...

Boa iniciativa, esta do ferve. Até porque isto ultimamente está cada vez a ferver mais.
Força e continuem com esta iniciativa de denunciar a precaridade laboral.
Saudações.

josé disse...

para quando uma MANIFESTAÇÃO?!

Big_Mac em Aquecimento disse...

Ó meu caro José, então a manifestação foi hoje lá para Lisboa, não foi? Mas o Governo está mais preocupado com o Tratado Europeu, em pôr caracteres cirílicos nas notas do euro, nos estudantes estrangeiros nas universidades austríacas, na carreira televisiva de José Castelo-Branco, na performance sexual de Zezé Camarinha, nas votações da Operação Triunfo, Casamento de Sonho e Família Superstar, na tertúlia cor-de-rosa e nas previsões da Maya e do oráculo de Belini. Como vê são coisa muito importantes para resolver...