02 maio 2010

280 euros mês, brutos, a recibos verdes!

Um ginásio de Lisboa, situado junto à Avenida da Liberdade em Lisboa, acaba de publicar um proposta de 'trabalho' cujo pagamento mensal é de 280 euros, a recibos verdes, por 20 horas de trabalho semanal, o que significa que, após o pagamento do IRS e da Segurança Social, o/a recepcionista não recebe quase nada.

O FERVE já denunciou esta situação à Autoridade para as Condições de Trabalho e considera escandalosas a impunidade e falta de pejo que fazem com que propostas ilegais como esta possam ser efectuadas.



De seguida, apresentamos esta proposta na íntegra, que pode também ser lida aqui:

Recepcionista para Health Club junto à Av. da Liberdade

Horário Turno manhã: 20horas semanais - 10h-14h de 2ªf a 6ªf

Horário Turno tarde: 20horas semanais - 18h-22h de 2ªf a 5ªf e das 8h30-12h30 ao Sáb

Condições: recibos verdes; 280€ + usufruto das instalações

disponibilidade imediata, pontualidade, sentido de responsabilidade, facilidade de relação com o público, conhecimentos de informática na óptica do utilizador
preferência a pessoas isentas de Seg Social (1º ano de recibos verdes) ou que façam a contribuição via outra entidade patronal.

3 comentários:

Ana Gelada disse...

Uns pequenos reparos sobre o anúncio e sobre o artigo:
O anúncio denota a qualidade do gestor deste ginásio: proposta feita em cima do joelho.
Que lhes interessa "pessoas isentas de Seg Social (1º ano de recibos verdes) ou que façam a contribuição via outra entidade patronal"? A responsabilidade é do trabalhador.
Oferecem usufruto das instalações, como se isso desse de comer a alguém. Porque só se pode dar ao luxo de utilizar um ginásio quem tem dinheiro para isso. É quase como obrigar o ceguinho a atravessar a rua.
Idealizaram decerto uma jovem que não queira ou não possa que os pais lhe paguem 1 t-shirt ou uma saída ao fim de semana. Também fui vítima disso no meu tempo: "Você não precisa, mora com os pais"

Quanto ao artigo: a recibos verdes não são obrigados a pagar subsídios de férias e natal, portanto obtemos um total anual de 3360 €, o que não obriga a pagamento de IRS;
No entanto, a Seg.Soc. (+/- 25%) é obrigatória (e não recebe nada em troca)

Anónimo disse...

Desculpem mas esta foma como o Estado lida com a questão dos recibos verdes até mete dó.
Todos anos, ou seja,`há cerca de 9 anos que eu assinalo com uma cruz em como passei a totalidade dos recibos verdes para a mesma empresa. Caso, por engano, haja uma falha de uma décima no montante declarado, somos imediatamente confrontados pelas finanças pelça diferença entre o pago pela empresa e o declarado por nós. Não percebo então para que serve o raio da cruz.
Eles têm a perfeita noção de que trata de uma questão de falsos recibos verdes, mas é melhor não levantar poeira, pois.
armando
arquitecto paisagista

António Carlos disse...

como é que é possível uma recepcionista ser trabalhadora a recibos verdes? Tem horário, as instalações e os materiais de trabalho são do empregador, de certeza absoluta que recebe ordens e recebe ordenado.... é evidente que a pessoa que for contratada irá ser um FALSO RECIBO VERDE....
O que falta como é evidente é uma fiscalização apertada por parte do ACT, porque se as empresas fossem multadas antes de proporem um contrato miserável pensavam duas vezes.
Se daqui a uns 2 ou 3 anos esta recepcionista for para tribunal para que lhe seja dada razão o tempo que irá demorar mais os custos irão fazer com que as pessoas desistam, infelizmente.... TEMOS QUE ACABAR COM ESTA POUCA VERGONHA..... BEM HAJAM FERVE.....continuem a descrever estes abusos.....