19 março 2008

III - FERVE e PI's na TVI



Rui Vieira, dos Precári@s Inflexíveis:

- “Um/a trabalhador/a de call-center recebe, em média, dois euros à hora.”

- (dirigindo-se a Ricardo Gonçalves, deputado do PS) “O trabalho precário só não acaba em Portugal porque vossas excelências não querem; se quisessem, punham a IGT a funcionar como fizeram com a ASAE”.

6 comentários:

Anónimo disse...

.
.
Tome e embrulhe, senhor deputado!
.
.

ana disse...

Brilhante, Rui!!!!

Filipe T disse...

Gostei de ver como o André tinha os trabalhos de casa feitos.

Gostaria de poder ver a audiência, creio que vai ser um bocado interessante.

Anónimo disse...

Eu por acaso vi isto na TVI e julgo que o tal deputado nesse momento tava à procura dum buraquinho onde se esconder. Eu gostaria era de ver um debate com o lider do FERVE mas com o nosso "querido" primeiro ministro, pra ver se o Engenheiro continuava a demonstrar a mesma boa disposição e arrogancia pelo qual é conhecido.

Danny Madeira

Anónimo disse...

Parabéns André!

Patrícia

Anónimo disse...

Diga-se também, em abono da verdade: se os sindicatos da Função Pública usassem um pouco mais da sua grande força e dos seus recursos sindicais (pagos em grande medida pelo estado) para lutarem contra a ilegalidade dos recibos verdes (entrepondo por exemplo procedências cautelares, como no caso dos supranumerários, da avaliação, das horas extraordinárias), talvez já tivessem pelo menos conseguido contratos individuais de trabalho para muita gente.