28 fevereiro 2008

Recibos verdes nos CNO's: Governo com 3 visões distintas!

A TSF emitiu uma grande reportagem intitulada "A Escola da Vida", sobre os Centros Novas Oportunidades (CNO's).

Entre outros assuntos, foi abordado o facto de uma maioria dos/as trabalhadores/as dos CNO's desenvolverem a sua actividade profissional a recibo verde.

Para estupefacção do FERVE - Fartos/as d'Estes Recibos Verdes constata-se que:

Vieira da Silva, Ministro do Trabalho, afirma que não tem informação de que a maioria das pessoas trabalhem a recibos verdes.

Maria de Lurdes Rodrigues, Ministra da Educação, refere que a situação da contratação a recibos verdes existe e espera que se possa resolver, apesar de considerar que a situação não é fácil, motivo pelo qual não tem uma solução no bolso.

Clara Correia, presidente da Agência Nacional para a Qualificação, considera que trabalhar a recibo verde não é sinónimo de precariedade.

Perante a gravidade e incongruência destas afirmações, o FERVE considera urgente que sejam solicitados esclarecimentos junto das entidades responsáveis.

Podem ouvir a reportagem aqui.

13 comentários:

Miss K disse...

O Sr. ministro não tem informação sobre isso porque não lhe convém.... obviamente.

A srª ministra só pode ser uma tótó de todo o tamanho. A solução é muito simples, fazer contratos de trabalho com toda a gente que está a recibos verdes.

A srª Clara, de certeza que nunca trabalhou a recibos verdes, duvido até que tenha conhecimento da carga fiscal a que estão sujeitos... só isso pode explicar a afirmação que fez.

João Pedrosa disse...

Claro que trabalhar a recibos verdes não é sinónimo de precariedade!!
Eles são necessários para que políticos e directores de empresas municipais e afins possam receber benefícios pelos "serviços prestados" sem a necessidade de rubricar um contrato. Os recibos verificam-se essenciais para que certas pessoas possam acumular riqueza.
Qual precariedade qual quê!?

Anónimo disse...

essa é que é essa!

Mas a sra. Clara pensa que só existem esses :)

Não sabe que existem pessoas que tem de fazer contratos e trabalhar a recibos verdes e assim, não terem direito a férias, sub de desemprego, maternidade, etc , etc, etc ...

Kruzes Kanhoto disse...

Infelizmente este país não é para velhos...nem para jovens, nem para qualquer um que não se dedique à politica.

Anónimo disse...

Viva!

Só para dizer que faço aqui menção ao vosso blogue:
www.802701.blogspot.com/2008/03/verdes.html

Continuem!

abraço
Bruno

Anónimo disse...

Lamentável!De certeza que esses senhores nunca trabalharam a recibos verdes nem, tão pouco, num Centro Novas Oportunidades. E de certeza que nenhum dos seus filhos ou grandes amigos se encontram nas condições que estão tantos jovens neste país a trabalharem a recibo verde num CNO, com as obrigações de alguém que tem um contrato de trabalho (horário, subordinação hierárquica, local de trabalho, vestir a camisola da instituição,...) mas sem os direitos (férias pagas, faltar por doença, subsídio de férias, subsídio de desemprego,...). Estes senhores deveriam conhecer melhor a realidade de que falam e que é da sua responsabilidade.

Anónimo disse...

Eu queria ver era estes senhores ( politicos ) a recibos verdes!!!Pagavam do seu bolso as deslocações,utilizavam seu carrinho para ir trabalhar!!! Seria uma boa forma de prestação de serviço ao Estado!! Isso é que era!! Uma boa forma de reduzir mutos euros ao estado!!!

Anónimo disse...

Eu sou exemplo de ter trabalhado num CNO com contrato e a recibo verde. Neste momento despedi-me, pois fartei-me...e sabem que mais ainda tenho de fazer uma carta de rescisão de contrato. Por acaso sabem como se faz????

Anónimo disse...

Quase todos os CNO são uma vergonha pois aproveitam-se dos recibos verdes para terem mão-de-obra barata que não tem direitos e apenas tem um dever: trabalhar até arruinar com a sua saúde, sanidade mental ou vida pessoal. Este abuso é praticado em todos os sectores: IEFP, Escolas, Empresas Privadas. Para quando condições de trabalho para quem está a tentar qualificar os portugueses, ou seja, a tentar aumentar o número de portugueses com habilitações ao nível do 12º ano para que o Governo possa apresentar à União Europeia.
Para o colega que fala da carta de rescisão, deverá fazer uma carta onde apresenta o motivo da rescisão e a data a partir da qual pretende rescindir. Atenção que os contratos (não sei se todos mas aqueles que conheço) referem que essa rescisão deverá ser enviada por carta registada e com trinta dias de antecedência. Já se for entidade a pretender rescindir com o trabalhador independente pode ser no próprio dia...

dina disse...

Parece-me que as pessoas querem é ignorar esta situação. Nunca trabalhei a recibos verdes até hoje, mas comecei a trabalhar como freelancer num jornal e tudo indica que a minha situação seja assim. Poderão que como fico como freelancer, é natural a situação dos recibos verdes, o problema é que a codnição de freelancer é só na teoria, porque de facto tenho que estar disponível para o que aparece a que horas for...
Não sei exactamente se é a recibos verdes, mas tenho conhecimento da precaridade de funcionárias numa instituição pública. Trabalham durante três ou seis meses, vêm de férias durante alguns dias tranquilamente, porque ao fim desses dias voltam. Se podem ter a sensação que por um lado estão seguras, por outro lado, sabem que podem vir embora a qualquer altura...

É muito triste a vida que se vive cá em Portugal...

Anónimo disse...

Triste sina a de quem tem necessidade de trabalhar para ganhar uns tostões para sobreviver!!!
Ao colega da carta de rescisão... se trabalha a recibo verde e tem contrato esse só pode ser de prestação de serviços ou avença, logo não há tempos a "dar à casa", tem mais é que dizer que se vem embora porque quer vir embora e pronto!
Isto da precariedade do trabalho por vezes tb por vezes fica-se a dever à nossa (in)acção!
Com recibos verdes é tão simples como isto não temos direitos logo não temos obrigações! E quem achar que temos obrigações que nos metam em tribunal a ver se ganham!!!
Raquel

albergariapinho disse...

Hoje, dia 17 de Maio, os notíciários dizem que "Estão criadas as condições necessárias que possibilitarão pôr fim aos recibos verdes e liquidar os vencimentos em atraso existentes entre os formadores do programa Novas Oportunidades. A garantia é dada pela ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues.". Mas só falam dos formadores a recibo verde; então, e os Profissionais de RVC? Nada dizem a respeito deles? Também vão alterar para contrato individual?

jamira disse...

Boa tarde a todos,
gostava que me informassem da seguinte situação:
Sou trabalhadora independente numa instituição publica à qual já apresentei a minha demissão(aviso previo de 30 dias) como consta no contrato de prestação de serviços(de 2 anos, 1+1). Tenho ainda 1 mes de ferias a gozar tal como todos os colegas que se encontram na mesma situação, mas apenas vou gozar 15, isto é, dos 30 dias que tenho a dar a casa segundo o contrato de prestação de serviços a recibo, 15 ainda trabalho e os outros 15 serão as minhas férias já há muito marcadas. A minha questão é se poderão deixar de me pagar o mês em causa alegando que não dei o tempo estipulado?