17 junho 2007

Testemunho: Ex-Manipuladores de Bonecos do Contra-Informação


A equipa de manipulação do Contra-Informação está em litígio com a direcção da empresa produtora do programa, Mandala, Comunicação e Produção S.A., devido às condições precárias de trabalho em que se encontra. Neste âmbito, a Inspecção-Geral de Trabalho foi informada da situação e procedeu a uma inspecção nas instalações da empresa no dia 9 de Novembro de 2005.

Os manipuladores - responsáveis pela animação dos bonecos do carismático programa da RTP 1 e portanto parte essencial da sua produção - trabalham naquela empresa em situação ilegal, com prejuízo dos seus direitos fundamentais.

A equipa de manipulação do Contra-Informação entregou, no dia 28 de Julho de 2005, uma carta reivindicativa da legalidade à directora-geral da empresa, Mafalda Mendes de Almeida, que foi ignorada. Assim, os manipuladores reservam-se o direito de avançar com uma acção judicial contra a Mandala Comunicação e Produção S.A.

O Contra-Informação, estandarte da democracia e da liberdade de expressão em Portugal, assenta em injustiças e ilegalidades. É urgente tornar pública esta infâmia!


Condições laborais da equipa de manipulação do Contra-Informação:

1- Os manipuladores mantêm-se ao serviço da empresa, há vários anos, de forma continuada em regime de recibos verdes, sem obter nunca qualquer rendimento no mês de suspensão da actividade (Agosto), subsídio de férias ou 13º mês

2- Apesar de a empresa nunca ter reconhecido formalmente, através de contrato ou integração nos quadros, o estatuto destes trabalhadores, os manipuladores cumprem os seguintes requisitos, estabelecidos por lei:
a) cumprimento de horário de trabalho
b) cumprimento de ordens, dentro de uma estrutura hierárquica
c) desempenho das funções num local fixo indicado pela empresa, do qual depende a produção do programa (o estúdio, nas instações da empresa)
d) o material necessário para o desempenho das suas funções pertence à empresa
e) remuneração mensal

3- Instabilidade do modelo de remuneração, ao longo dos anos, de acordo com o interesse da empresa, sem margem negocial para os manipuladores (vencimento mensal de acordo com cachet diário variável e redução de dias de trabalho, com prejuízo do rendimento total).

4- Suspensão temporária de manipuladores por recusarem trabalhos extraordinários sem remuneração.

5- Recusa da empresa face a várias solicitações, por parte dos manipuladores, no sentido de regularizar a sua situação. Postura arrogante e negação de diálogo por parte da directora-geral da empresa, Mafalda Mendes de Almeida.

A equipa de manipulação do Contra-Informação,

Ricardo Moreno
Pedro Rosário
Sérgio Paixão
Paulo Santos
Pedro Rodrigues
André Nunes
Miguel Teixeira
Tiago Vilhena

3 comentários:

Leo disse...

Peço autorização para colocar o vosso post no meu blogue
Leo

toztamizta disse...

Impressionante... Agora ainda gosto mais de vocês. Será que os Gato Fedorento também estão a recibos verdes?? E o Herman José?

Contra Recibos Verdes disse...

Leo,

claro que podes. Obrigado por divulgares a nossa luta.

Tostamizta,

obrigado pelo apoio. Infelizmente, desde fevereiro de 2006 que nenhum dos 8 trabalhadores está ao serviço do programa "contra-informação" por causa das retaliações a que fomos sujeitos pela administração.

Fomos substituidos por uma equipa sem formação técnica para manipular bonecos. A qualidade do programa está deficitária e é uma pena que assim seja.

Um abraço a todos e em especial à FERVE por nos terem dado destaque.

Todos juntos conseguiremos os nossos objectivos e que passam por uma maior justiça laboral em Portugal.

Em nome da EX-equipa de manipulação do Contra-Informação

Miguel Teixeira


[[]]