12 junho 2007

Testemunho: formadores/as do IEFP

Sou apenas uma dos mais de 30 000 formadores fartos dos recibos verdes, pois afinal trabalhamos para o Estado Português mas não temos quaisquer regalias!
Aproveito assim para denunciar a situação profissional daqueles que trabalham para o Estado a recibos verdes:


- Em Abril de 2006 o IEFP (Instituto do Emprego e Formação Profissional) reduziu o valor a receber por hora de formação em 2, 50 Euros o que resultou numa diminuição de cerca de 300 a 400 Euros no final do mês de trabalho, sem qualquer justificação, sem pré aviso ou consideração por quem faz da formação profissional o seu ganha pão. A publicidade em massa na comunicação social aos Centros de Novas Oportunidades deve ser cara...


- Depois deste acto alguns formadores de Lisboa, Sintra e Sul do Tejo tentaram organizar uma associação que nos representasse legalmente, mas o medo de represálias e o medo de perder a já tão precária situação laboral em que nos encontramos , fez com que os encontros não passassem de almoços e jantares de convívio. Parabéns por isso aos colegas do Norte!


- Os formadores são professores com contratos a horas! De facto, o IEFP é muito inteligente pois contrata os formadores por horas apesar dos cursos terem a duração de 1, 2 ou 3 anos! Estes contratos têm ainda uma cláusula de rescisão a qualquer momento e sem aviso! No mínimo isto é ilegal!

-Trabalho em exclusividade para esta instituição há 6 anos mas há colegas a trabalharem há mais de 20 anos e que nos contam que a dignidade e honorários dos formadores têm caído drasticamente, apesar de exercermos até as funções administrativas de um curso como qualquer funcionário do IEFP.

- No IEFP não há formação durante o mês de Agosto, logo só recebemos 11 meses no ano, sem subsídios de Natal ou de férias! Será que o banco me perdoa se pagar só 11 rendas por ano? Será que depois de um ano de trabalho não temos direito a gozar umas merecidas férias?
Se estivermos doentes ou um familiar tiver o azar de falecer ainda temos que ouvir:

-" Não pode mesmo vir dar formação? Os formandos não podem ficar sozinhos!"; é que formador não tem direito a estar doente, quanto mais a justificar as suas faltas!


Hoje um formador, depois de pagar 151 Euros para a Seg. Social, descontar 20% para o IRS e 21% para o IVA , recebe por hora tanto como uma empregada de limpeza, que, sem desrespeito pela sua actividade, não tem que preparar aulas, corrigir testes ou formar/ educar adolescentes expulsos do ensino regular!

- Como jovem mulher há ainda a situação da maternidade! Não posso ficar em casa os 4/ 5 meses como qualquer mulher a contrato, pois a Seg. Social paga uma ninharia de apoio e preciso de continuar a pagar a renda da casa! Resta-me um dilema aos 30 anos de idade, ou pago as minhas contas ou tenho um filho?

- Espero que esta descrição real e não desabafo contribua para melhorar a nossa situação pois estamos fartos destes recibos verdes ( ou azuis??!!, nem a cor é definida!!)
Anónima

7 comentários:

Anónimo disse...

Falta ainda falar daquel@s formador@s inscritos nas bolsas de formador@s do IEFP durante anos sem nunca serem contactad@s...

Anónimo disse...

se não for indiscrição, quanto é que recebem por hora de formação?

FERVE disse...

Tenho receio de poder estar a errar, mas creio que são 15 euros/hora.

A este valor há que subtrair o IRS e o pagamento para a Segurança Social, que é de 151 euros.

Pelo FERVE;

Cristina Andrade

Anónimo disse...

Reconhecendo a vergonhosa situação laboral a que são "obrigados", é óbvio que, em vez de tentarem mais um pequeno grupo de insatisfeitos, se devem juntar às organizações sindicais. Sei, por exemplo, que a FENprof, através de um seu sindicato, denunciou salários em atraso (li a notícia no Sol on-line)e os formadores receberam dec seguida. Tenho uma filha na vossa situação e parece-me que é preciso juntarem-se a quem vos defendem evitando individualismos .
Um abraço e desejo, honestamente, melhores dias para todas e todos.

Anónimo disse...

Com a vida complicada como têm, parece-me evidente que é ingénuo pensar que um pequeno grupo terá força reivindicativa. Tenho uma filha na vossa situação e sei que a FENPROF, atravé s de um sindicato daRegião Centro fez uma denúncia de salários em atraso e todos receberam de imediato. Compreendo a vossa situação, mas o medo e acções algo inconsequentes, sem ofensa, parecem-me sem qualquer efeito. Juntem-se aos sindicato, pois ficará mais forte a vossa luta.

Desejo muita sorte, hoonesta e sentida.

PS disse...

Acrescendo a tudo isto... tentem pedir justiça ao Provedor de Justiça quando acham indevido que o IEFP exija emissão do recibo verde para proceder ao pagamento no mês seguinte e depois não pague os honorários desse recibo já emitido!...e mais surpreendente ainda, quando o Provedor de justiça emite parecer sobre isto, dizendo que, de facto, o IEFP trabalha no borderline da legalidade, mas que não está a infringir a lei!
PS

Anónimo disse...

gostaria de deixar uma questao no ar...
tenho o 12 ano e o 1 de direito incompleto sera que me posso tornar numa formadora